Vivendo em desertos


Muitas vezes passamos por tempos e situações em nossa vida que poderíamos comparar aos desertos. Se pensarmos os desertos tem pouca vida, pouca umidade, escassez de água, poucas vegetações e animais se adaptam ao clima, e pode ser mortal para um ser humano que o visite de maneira despreparada. Mas apesar de ser um ambiente muito hostil, ele contem muitas preciosidade em termos de minerais.

Muitos momentos em nossas vidas são como um deserto, vivemos uma dor quase insuportável, não vemos solução, parece que nunca vai passar. Nos momentos em que ficamos de maneira desesperada procurando como sair daquela situação, muitas vezes deixamos de observar as preciosidades a nossa volta e perdendo tesouros na nossa vida. Esses tesouros podem ser pessoas importantes que estão à nossa volta, ou oportunidades de agir de maneira diferente, chances de viver coisas novas, entre tantas outras. O que não percebemos é que, por achar o deserto um lugar tão ruim e de tanta dor, não enxergamos as belezas que tem na vegetação, nos desenhos na areia, no sol que toca nossa pele. Não nos abrimos para as experiências que podem ser boas, por medo de serem ruins.

Muitos caminhos passam pelo deserto, não há caminho alternativo, só nos resta vivê-lo da melhor forma que podemos.

Viva o teu deserto, não ignorando a existência dele, mas também não deixando de perceber o oásis ao teu lado por não se abrir para toda a experiência que ele pode te proporcionar!


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2017 - Psicóloga Eveline Juswiak. Todos os direitos reservados